quinta-feira, 31 de maio de 2012

Street Fighter X Tekken


Quem conhece a Capcom sabe que a companhia japonesa não faz feio quando o assunto são jogos de luta. Os títulos são verdadeiros clássicos de fliperama, e fizeram a infância de muita gente. Não bastasse o sucesso dos próprios games, a empresa também se tornou especialista nos famosos "crossovers", ou seja, o gênero onde personagens icônicos de duas séries distintas se enfrentam na história. O resultado mais recente dessa mistura se dá no encontro das produtoras Capcom e Namco em Street Fighter X Tekken.
A trama se baseia na queda de um meteoro no Polo Sul. O objeto em forma de cubo libera uma energia mística chamada Pandora, que desperta poderes sobrenaturais sem limites em qualquer pessoa durante algum conflito físico ou emocional. Isso eleva o interesse de duas organizações criminosas para adquirir o tal poder, e é aí que os lutadores das duas franquias, a maioria com objetivos diferentes, entram em ação para descobrir os mistérios por trás do artefato intergalático.
Quem jogou Street Fighter 4 vai achar a mecânica bem parecida em Street Fighter X Tekken. As grandes adições ficam por conta da união de dois tipos de combates distintos: o de Street Fighter, que é 2D, com magias, golpes especiais, e uma sequência de chutes e socos em nível gradativo, e o de Tekken, com lutas em 3D que se apoiam na montagem de combos personalizados pelos botões do joystick.
Outra novidade é o sistema de Gemas. Existem as "Boost Gems", que permitem dar aos personagens mais potência nos ataques, defesa, velocidade, resistência e vitalidade; e há também as "Assist Gems", que melhoram os atributos do jogador na hora de se esquivar ou executar os golpes. Essas gemas são selecionadas em um menu antes de começar a rodada. Você pode escolher até três opções para cada lutador ou optar por seleções pré-determinadas de acordo com o biotipo dos personagens.
Já o ataque "Pandora" consiste no sacrifício de um personagem que tenha 25% ou menos de energia, para tentar derrotar o adversário. O único problema é que esse recurso dura poucos segundos e, caso o personagem beneficiado com os poderes adicionais não nocautear o inimigo, ele morre instantaneamente. A técnica pode ser bem útil para vencer uma batalha em grande estilo ou dar uma virada no placar e evitar o game over, mas não vimos muitos motivos que tornam a ferramenta fundamental para terminar uma partida, já que, na maioria das vezes, usar o Pandora não gera resultados bem sucedidos.

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Favor Se Cadastrar Para Comentar. Não Use Palavras de Baixo Calão, Não Ofenda Ninguém. Não Faça Racismo. Obrigado