terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Como Montar Partições do HD no Linux

Montar unidades de disco rígido no Linux
Quando uma determinada versão do sistema Linux dispõe do utilitário “automounter”, não será preciso fazer a montagem do HD manualmente, para poder acessar os dados armazenados no mesmo. Como já citado acima, a técnica da “montagem e desmontagem” do dispositivo é direcionada para dar maior segurança aos dados que serão gravados ou aqueles que já estão gravados na mídia. Contudo, no caso da máquina possuir um único disco rígido (imagem) com três partições, digamos que a primeira partição esteja particionada com o sistema de arquivo FAT32 (File Allocation Table) e com uma versão do sistema Windows instalado (XP, por exemplo), a segunda partição esteja particionada com o sistema de arquivo conhecido no mundo Linux por EXT2/3 (Second EXTended File System ou Sistema de arquivos estendido, versão dois/três; e a terceira partição esteja particionada com o sistema de arquivo SWAP (Trocas de arquivos na memória). Nesta situação para que você possa acessar o conteúdo da partição FAT32, será preciso, primeiramente, criar um “subdiretório” no diretório “/” (raiz), digamos com o nome de “winxp” e, em seguida, “montá-lo”. Para isto siga as instruções abaixo para criar este subdiretório e como “montá-lo” e “desmontá-lo” quando necessário:

1> Primeiramente, para “criar” o subdiretório “winxp P” basta digitar a primeira linha de comando abaixo. Já para montar a unidade de disco rígido que será conhecida por winxp, basta digitar a segunda linha de comando abaixo:

mkdir / winxp (Enter)
mount -t vfat /dev/hda1 / winxp (Enter) ou…
mount -t auto /dev/hda1 / winxp (Enter)
mount -t vfat /dev/sda1 / winxp (Enter) para dispositivos SATA ou SCSI.
2> Como ocorre com a unidade para disquete e de CD-ROM, para desmontar o “WinXP” basta digitar a seguinte linha de comando:
umount /mnt/windows (Enter)
3> Lembre-se também que todas as vezes que você for acessar o diretório WinXP será preciso “montar” o mesmo. Observar também que “/hda1” refere-se á partição em que o Windows está instalado, caso seja o Linux que esteja instalado na “/hda1”, a partição do Windows poderá ser a “/hda4” ou “/hda5”. Para descobrir em qual partição o Windows está instalado, digite numa janela de Terminal esta linha de comando:
df –h (Enter) ou...
cfdisk –l (Enter)
4> Quase todas as distribuições atuais do sistema operacional Linux disponibilizam um conjunto de ferramentas conhecidas por “mtools” (mount tools ou ferramentas de montagens). No caso do utilitário “mtools”, encontram-se ferramentas de montagens similares ao do sistema DOS, tais como: mattrib; mbadblocks; mcd; mdir; mdu; mkmanifest; mlabel; mkdir; mmd; mmount; mrd; mread; mren, mtooltest; mtyp; mcopy; mdel; mdeltree; mformat; momove; mren; mtype; entre muitas outras disponíveis.
5> Como um exemplo da utilidade e simplicidade dessas ferramentas, para visualizar o conteúdo de um disquete, por exemplo, basta digitar no prompt do sistema Linux este comando:
mdir a: (Enter)
6> Não sendo preciso nem mesmo criar um diretório e muito menos montar um drive virtual na memória, e muito menos ainda, desmontar. Já para copiar um arquivo com o nome de “user.txt”, que se encontra gravado num diretório de nome /arqtexto (para uma mídia de disquete), basta digitar:
mcopy /arqtexto/user.txt a: (Enter)
7> Parâmetros utilizados aqui: No caso dos “parâmetros” que foram utilizados nas linhas de comandos acima, os mesmos significam o seguinte: Mount (montar); -t (type ou tipo); vfat (volume fat); dev (device ou dispositivo); fd0 (floppy disk 0 ou disco flexível zero); cdrom (compact disk read only memory ou disco compácto com memória para somente leitura); hda1 (hard disk a1); as (relacionado com...); rw (read/write ou leitura/escrita).

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Favor Se Cadastrar Para Comentar. Não Use Palavras de Baixo Calão, Não Ofenda Ninguém. Não Faça Racismo. Obrigado